10 de out de 2011

O VINHO

Para os italianos como para outros povos mediterrânicos, estar à mesa é um ritual que convida à camaradagem e estimula os sentidos.
Mas, na opinião dos especialistas, esses hábitos alimentares são muito mais do que apenas um estilo de vida.


A dieta mediterrânea é considerada uma proteção contra doenças cardíacas e diabetes, redução de alergias, controle do peso, prevenção do Alzheimer, osteoporose e câncer.


A lógica da pirâmide alimentar italiana parte do princípio de que, para ter saúde, não é preciso privar-se do bem-estar. O que significa que vinho, cerveja e até embutidos são opções permitidas. Com moderação, é claro.


Para acompanhar as refeições, vinho ou cerveja. A porção de referência é de 100ml/dia, num total de 7 por semana, dado o seu alto valor calórico.


Samos hoje que o vinho é um produto complexo que possui mais de 400 compostos, muitos deles com funções fisiológicas. Por possuir alta quantidade de flavonóides (antioxidantes), ele evita a formação de placas de gorduras na parte interna dos vasos sanguíneos (ateromas), diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.
De acordo com a cultura mediterrânea, o consumo deve ocorrer durante as refeições, pois a presença de alimentos ameniza os efeitos tóxicos do álcool no organismo
O vinho...ah...  este acaba equilibrando totas as coisas...

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário