3 de nov de 2011

O NATAL com BACALHAU


Muitas pessoas  se perguntam porque comemos 
BACALHAU NO NATAL, 
e porque esse hábito, essa tradição, 
se perde nos tempos, 
sendo até difícil imaginar quando tudo começou.


Fácil: a  História vem nos revelar como essa tradição se estabeleceu e manteve ao longo dos séculos, de uma tal forma que a grande maioria das famílias ainda hoje respeitam esse hábito e as vendas de bacalhau disparam nesta época do ano.

Na verdade, a  Igreja Católica mantinha, na época da Idade Média, um rigoroso calendário onde os cristãos deveriam respeitar diversos os dias de jejum, excluindo de sua dieta alimentar as carnes consideradas “quentes”.

Ora o bacalhau era considerado como uma comida “fria” e o seu consumo era por isso incentivado pelos comerciantes e também pela igreja nos dias de jejum. 



Com tudo isso, esse  peixe que todos apreciamos passou a ter forte identificação com a religiosidade e a cultura do povo português e, apesar desse  rigoroso calendário de jejum religioso ter desfeito pouco a pouco, a tradição do bacalhau se manteve muito  nos países de língua portuguesa até os dias de hoje, principalmente no Natal e na Páscoa.

Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o Natal deste ano teria menos bacalhau à mesa e seria mais regado à cerveja.
Esse levantamento mostrou que o ritmo das encomendas do pescado pelo comércio diminuiu de 13,8% para 13,4%. 

E, no entanto,  nas lojas, os comerciantes e os clientes seguem na contramão, e a procura pelo bacalhau continua no ritmo mais ou menos frenético de anos anteriores

Nenhum comentário:

Postar um comentário